Deliberações

Deliberações: 19

Entre tantos, o amor estar na ação voluntária de total desinteresse.

“O amor é paciente, é benigno; o amor não arde em ciúmes, não se ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses, não se exaspera, não se ressente do mal; não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.” (1 Coríntios 13.4-7)

Na capacidade de se dar, suportar, sofrer, crer… e esperar estar o ato de amar. Ação voluntária que também é interesseira, mas não a si, e sim na causa do próximo. O motivo passa despercebido, mas estar intrínseco, a saber, que, o total desinteresse do amor tem seu lastro no grande interesse de amar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s